sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Sobre o PLC 122/2006, a Igreja, os homossexuais...


Neste post, quero expressar o que penso acerca do PLC122/2006, projeto de lei "que pune a discriminação contra homossexuais". Para os desavisados, há uma enquete no site do Senado com a seguinte pergunta: "Você é a favor da aprovação do projeto de lei (PLC 122/2006) que pune a discriminação contra homossexuais?". Ora pois! Fora os fascistas, quem responderia "não"? Na última vez que acessei a página, o "sim" vencia com 51,68%. Acabo de ler todo o texto e percebi alguns pontos que gerariam um possível "não": a interferência do Estado num discurso contrário à prática homoafetiva.

"Amamos o homossexual, mas repudiamos o homossexualismo." - essa é a principal frase que ouço da parte dos cristãos; sobretudo, contrários ao PLC 122/2006. É um assunto delicado. Se você ainda não leu o projeto, aconselho que leia todo o texto (com suas alterações propostas) neste site. Assim, você terá uma opinião bem pessoal; quem sabe, mesmo sendo cristão, diga "sim".

Minha opinião acerca de um tema tão discutido é clara. Sou contra a discriminação aos homossexuais. O que não concordo é com o movimento GLBT que diz lutar pela diversidade, apresentando um discurso bastante orgulhoso. É uma pena! Lutar contra a homofobia é um compromisso que deveria ser praticado juntamente com a Igreja. Infelizmente, a Igreja que deveria ser a vanguarda de movimentos pela justiça social é tida como a "chuva no piquenique"...

Dizer que a bíblia é favorável ao homossexualismo é uma heresia. É muito mais sincero reconhecer que a bíblia discorda do homossexualismo e levar a vida - deixando a prática ou não: fica para o livre (?) arbítrio - ao invés de ficar criando heresias, nas igrejas "evangélicas" GLBT. Que diversidade é essa que não permite a discordância à prática homossexual? Dizer que sou contrário ao homossexualismo me faz ser um homofóbico? Dizer que os homossexuais precisam ser respeitados me faz ser um simpatizante? Não e não! É verdade que o papo de "nós amamos os homossexuais, mas repudiamos o homossexualismo" é mera teoria para alguns cristãos. Para alguns, é somente discurso. Ainda há muito desrespeito por parte de grupos (que se dizem) cristãos, mesmo tendo Cristo lutado contra toda forma de discriminação. Ah! Temos tanto a aprender com o Mestre!

Acredito que é preciso valer a proposta de diversidade, contida nas cores do arco-iris, símbolo do movimento GLBT. Caso contrário, ficaremos num discurso cada vez mais monocromático, em que ficará rotulado de "homofóbico" quem discordar do comportamento homossexual (tal como aquele que não enxerga a roupa do rei é taxado de "ignorante"). Por uma verdadeira diversidade e pela luta contra a verdadeira homofobia! Porque Jesus ama os homossexuais e deseja que eles O amem!

23 comentários:

Érico disse...

Fala Sucesso!

Não li o texto nos detalhes, mas pelo que sei, é uma lei que visa combater a discriminação, etc... porém, no meu pouco conhecimento sobre leis (hehehe, sou de exatas...)acho q lá no artigo 5º (ou nestas redondezas, hehehe) já existe a proteção à discriminação a todos os tipos de pessoas (sexo, religião,etc...)

Acho q será meio redundante essa lei, se tudo que eu penso for assim mesmo, pq seria um artigo q combate a discriminação e uma lei especial somente para uma opção sexual ( q deve ser respeitada)...acho desnecessário isso, é só fazer uso do que já existe...

Abraços!!

Obs: estão dizendo que o Eurico Miranda tb quer uma lei, anti-Euricofobia, um dia desses chingaram um juiz de futebol de "Eurico Miranda", hehehe

Érico disse...

Fala Sucesso!

andei vendo o artigo 5º...

pelo menos penso eu que este artigo já garante a qq pessoa a proteção ao racismo e discriminação...independente de que tipo seja a discriminação ou racismo...

Artigo 5º

Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:

I

II – ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude da lei;

III – ninguém será submetido à tortura nem a tratamento desumano ou degradante;

IV

V – é assegurado o direito de resposta, proporcional ao agravo, além da indenização por dano material, moral ou à imagem;

VI – é inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida na forma da lei, a proteção aos locais de culto e suas liturgias;

X – são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurando o direito à indenização pelo dano material ou moral decorrente da violação;



Dispositivos do artigo 5º, que vedam a prática de discriminação e racismo sob qualquer forma.



XLI – a lei punirá qualquer discriminação atentatória dos direitos e liberdades fundamentais;

XLII – a prática de racismo constitui crime inafiançável e imprescritível, sujeito à pena de reclusão, nos termos da lei;

enfim...está ae...

abçs!

Érico disse...

Fala Sucesso!

hehehe, hoje, sábado, te vi na rua, vc estava lá na cinelândia com uns amigos...mas eu estava indo p/ o metrô ae nem deu p/ falar com vc, mas ae, cheguei a uma conclusão: " o Sucesso está sempre por perto!"

hehehehe...

ABçs!

Alexandre de Sá disse...

Oi, Érico!

Parece que estou por perto mesmo... Porque hoje não saí de São Gonçalo...
=)

Abs!

Érico disse...

Fala...

é mesmo? tu não saiu de São Gonçalo?? poxa, tinha certeza q tinha te visto....vc estava de blusa azul com uma bermuda cinza nas escadas de um prédio na cinelândia com 3 amigos gordos....kkkkk...então viajei na maionese...rsrs, ainda bem q não fui lá, ia ser engraçado...



abçs

Pastor Julio Fonseca disse...

Belíssima postagem, você conseguiu retratar tudo que penso a respeito a esse tema, por isso publicarei esta postagem em meu site, dando os devidos créditos é claro se quiser conferir www.idagospel.com, mudarei apenas o título, pois tenho uma outra postagem a respeito da lei PLC122/2006. Que Deus continue te inspirando. Fique com ele.

Alexandre de Sá disse...

Obrigado, pastor!
Que Deus nos abençoe!

Antonio Mano disse...

É .. é verdade.. no meio evangélico quando a gente defende o respeito ao homossexual, somos confundidos com simpatizantes.
Curioso é que os evangélicos, outrora perseguidos pela inquisição, outrora chamados filhos do cão pelos filhos do papado de roma, esqueceram-se de tais tempos e hoje levantam também suas tochas.
Curioso é que, todos nós levantamos e apontamos as inconsistências desse projeto de lei, desde que foi lançado, seja em suas inconstitucionalidades, seja em seus exageros de penalidades e ou dúbias interpretações, apesar disto, não atentamos para o despreparo do legislador ao elaborar tal projeto. A intenção do projeto é interessante. Proteger minorias que são hostilizadas (se é que essa foi a intenção original). Esse é um dever cristão. Dever do cidadão, que na teoria a constituição já garantiria como nos mostrou o Érico.
Mas isso.. é na teoria né. Esse "lance de amor".. também parece que fica só na teoria as vezes.

Érico disse...

Fala Sucesso,

O Antonio, disse bem, muitas vezes fica só na teoria, por isso, que acabam tendo que fazer novas leis...

Ae, eu o vi ontem, domingo, na tijuca, vc estava com a blusa do Flamengo indo p/ o Maracanã...deve ter festejado muito hein! rsrsrs


Abraços,
Érico

Angie Abdon disse...

Mas que sorte.. econtros e desencotros com Alexandre de Sá... isso dá um post. (Onde está o blogueiro?) kkk

Igrejas que abrem portas a homossexuais não estão erradas... mas abrir uma em que esta prática seja aceita inclusive cm realização de cerimonias matrimoniais??

Bom, o foco está na Lei e dela direi... sou da mesma opinião que Érico. A constituição do bRasil é muito bonita e justa até quando trata da igualdade dos cidadãos...

mas é mt mais fácil inventar 'moda' qua fazer valer a lei... verrrrrrgonhoso...

É isso, Bjão!

Alexandre de Sá disse...

Interessante sua observação, Antonio!
Precisamos amar como Cristo amou...

Mais uma vez, o Érico viu alguém que não era eu... No entanto, o que realmente importa é: o mengão é hexa!
=)

Pensamos de forma parecida, Angie. Esse projeto de lei é bem redundante, não é? Se a Constituição, conforme nos mostrou o Érico, assegura direitos ao cidadão... Por que especificar um ato discriminatório contra o homossexual, se este já é um cidadão? (ou não é?)

blogmoderador disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
blogmoderador disse...

já tinha um certo tempo que não passava por aqui e tive uma grata surpresa ao ler esse post
como é difícil pensar fora da caixa no meio evangélico!
divulguei o post pelo twitter e mail

parabéns alexandre!

robson wellington

ps: a enquete já saiu do ar e eu sou cristão e votei SIM rsrs...

Gustavo Don disse...

Sim vc estão certos quando a discriminação é vedada na CONSTITUIÇÃO FEDERAL. Mas alquem segue ? Imaginem um homossexual indo a delegacia dizendo que foi discriminado, oq o delegado faria ? Quais as penas a serem aplicadas ? Pq a LEI 7716 (Q ira ser alterada com o plc 122) foi criada criminalizando a discriminação por raça, origem e religião ? Se na CONSTITUIÇÃO ela já diz que será proibido. Enfim, é um projeto de lei NECESSÁRIA SIM ! Não protege somente os homossexuais, e sim a todos que sofrem discriminação em razão de sua orientação sexual, identidade de genero, genero, deficiencia fisica e condição de pessoa idosa. A DISCRIMINAÇÃO já eh vedada pela constituição, então todo projeto que vise combater o preconceito e discriminação deve ser apoiado e ser aprovado !

Alexandre de Sá disse...

Muito brigado pela visita e comentário, Gustavo.

Quanto às possíveis questões acerca de uma constituição que já garanta (ou não) os direitos ao cidadão (incluindo o homossexual), a gente cai naquela velha (porém, não arcaica) discussão: quem é "cidadão", num país em que os meios de produção não estão partilhados igualitariamente?

A economia pode dizer quem é (e não é) cidadão, mas Cristo ama a todos - ricos e pobres, homens e mulheres...

Oro pra que a Igreja não perca sua vocação: amar as pessoas. Minha opinião a respeito deste projeto de lei está neste post.

Alexandre de Sá disse...

Muito obrigado pela divulgação, Robson!

Volte mais vezes!

Anônimo disse...

O projeto de lei Sobre o PLC 122/2006, merece uma elucubração sensata e pautada nos princípios emanados pelo Deus-ser humano Jesus Cristo.

Evidentemente, ao detrinchar o teor da presente lei, ainda o seu estágio embrionário, traz em seu bojo uma série de descalabros e desvirtuações em face da própria constituição.

Não da para negar, violações flagrantes ao princípio da isonomia e outros abalizados na nossa Carta Magna.

Muito embora, o tema seja, em nada incipiente, em virtude do homossexualismo ser algo já vetusto na trajetória humana, devemos tomar o devido esmero parar não cairmos em fanatismos.

Seja dos apologistas de tais práticas que, lá no fundo, endossam uma pura e cristalina cultura relativista, hedonista e marca de uma geração sem esperança.

Doutro lado, compete a Igreja, com urgência, ser espertada para a comunhão espiritual, aportada em Cristo, regida pelo amor fraternal e impulsionada pela palavra.

Digo isso, em face de miríades de vozes de colocações no tocante ao proceder da Igreja, pessoas e não templos, diante dessa questão.

A grosso modo, torna-se fundamental resgatarmos a singeleza de uma relação aberta e franca com Cristo e isto numa perspectiva de comunidades voltadas a reconciliar, justificar e restaurar.

Infelizmente, temos observado a coqueluche de uma fé utilitária, de uma adoração volitiva e anímia, de uma concepção da palavra como um amuleto para o sucesso aqui e agora.

Devemos, sim e sim, revermos a importância de uma renovação pautado na inter-relação em e com Cristo, praticamos o evangelho propício a impactar e influenciar o outro, o próxio e nosso com procedimentos salutares.

Isto implica, não o soerguer de cristão perfeitos, acima do bem e mal.

Ao invés disso, dispostos a serem discípulos, servos e apóstolos (propaladores da palavra).

Tão somente assim, conseguiremos nos posicionar com substancialidade e autoridade, diante das investidas perentes das falanges demoníacas.

Alexandre de Sá disse...

Anônimo, que Deus te abençoe!

Li e reli seu comentário!

Obrigado pelo comentário! Como soube desse post?

Feliz Ano Novo!
<><

Hermes C. Fernandes disse...

Alexandre, parabéns pela lucidez do seu post. Tomei a liberdade de publicá-lo em meu blog. Caso se incomode, é só avisar que retiro. Aproveitei pra divulgá-lo.
Forte abraço.

www.hermesfernandes.blogspot.com

Alexandre de Sá disse...

Obrigado, Hermes! Pode divulgar, sim! É uma honra ter um post no seu blog! Que Deus continue te abençoando!

Abração.

Pr. Carlão disse...

Parabéns mano pelo artigo, concordo plenamente com vc... Temos que ter essa impressão bem forte dentro de nós!
Um forte abraço.

Kássia Santiago disse...

Em relação ao discriminação, na questão legal, me parece um pouco com a história da lei Maria da Penha. Havia uma lesgislação que cobria a violência doméstica, mas a lei veio quase que como um alento político e deu visibilidade a questão, então pode ser útil, ainda que redundante.

Como cristã, sou como diria "contra o pecado e a favor do pecador". Qualquer forma de agressão não deveria ser defendida, e isso pra mim vale pra todos, até mesmo pra criminosos. Como posso ser cristão e dizer que "a polícia tem que matar mesmo"??? Cadê o amor pelo outro?

Alexandre de Sá disse...

Obrigado pelo comentário, Pr. Carlão!

Obrigado pelo comentário, Kássia!

Voltem mais vezes!

Abraços!