segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Madonna está com Jesus, o outro!


"Madonna, a rainha do pop, conheceu Jesus enquanto realizava sua turnê aqui no Brasil. Madonna está apaixonada por Jesus." Frases como essa têm chamado minha atenção. A pop star Madonna (50 anos) está tendo um caso (o que os famosos chamam de "affair") com o modelo Jesus (22 anos). E a imprensa - que não perde tempo pra nada, não é verdade? - descobriu que o rapaz tem origem evangélica! A origem cristã do rapaz, seu nome e caso com a estrela do pop dão pra blogar alguma coisa interessante.

Religiosa (mas quem não é?), simpatizante da Cabala, polêmica, ativista, sensual, cinqüentona (a nova ortografia retirou o trema, mas eu não!)... Surpreendente! Há quem diga que estar perto de gente assim é o segredo do sucesso! O rapaz segurou essa grande oportunidade: muito mais que amigo, tornou-se (o mais novo) namorado da musa. "Rapaz de sorte!" - diriam aqueles que querem porque querem virar uma celebridade.

E que "sorte"! O modelo Jesus está "abusando" da teoria dos 15 minutos, de que cada um de nós terá a oportunidade de ter seus 15 minutos de fama/reconhecimento. Sua mãe é evangélica... Ah! Você sabe, né? Filho de peixe, peixinho é. Mas, filho de crente... Nem sempre crentinho é! Não torço pelo fim do namoro pop. Mas, fico a pensar no coração humano (mesmo sem ser cardiologista). Coração que bate por afeto, atenção, carinho... Para contrariar os "românticos", discordo que o verbo amar se refere a um sentimento. Não! Pra mim, amar é mais que isso: é um comportamento.

Fico a pensar nesses relacionamentos (se é que os posso chamá-los de re-la-ci-o-na-men-tos) que são frutos de um sentimento e nada mais. Creio que há uma compreensão errada do que é amar. Quando a bíblia diz que devo amar o meu próximo como a mim mesmo, não está simplesmente constatando que me amo e devo amar o meu próximo. Não, isso seria algo muito superficial pra um livro que trata de questões tão profundas como a bíblia! Da mesma forma, quando as Escrituras dizem que devo amar meu inimigo, ela não está querendo acabar com meu senso crítico e tornar-me um masoquista. Pelo contrário, ela me ensina que amar é usar a razão e não depender de um sentimento. Porque o sentimento pode variar "na véspera", de acordo com as "condições naturais de temperatura e pressão" (CNTP). Comportamento, no entanto, é uma decisão, escolha racional: amo e pronto.

Temos mais facilidade em perdoar a nós mesmos do que a quem nos feriu, não é verdade? Isso porque insistimos que amar é um sentimento e não uma decisão. Pensando assim, não compreendemos que amar é "ágape" (o mesmo verbo utilizado por Paulo, o apóstolo dos gentios, em I Coríntios 13). Vale lembrar que, quando o "perito da lei" pergunta a Jesus (o Cristo) quem é o seu próximo, Cristo não responde prontamente cheio de detalhes as características do "próximo". Antes, apresenta a parábola do bom samaritano - para o desgosto dos religiosos que sentiam nojo do povo de Samaria, Jesus (o Cristo) demonstra que o samaritano amou o próximo.

Certamente, quando o sentimento ("fogo") do "casal pop" diminuir, a escolha de continuar junto ou não se apresentará. Nesse balaio todo, lembro de como iniciei meu relacionamento com Deus. Outra vez, para contrariar os "românticos", não tive nenhuma sensação diferente; nem por isso, duvido de minha conversão. Tive um encontro com Jesus (o Cristo) pela fé, fruto de Sua graça! Preciso admitir que durante minha caminhada com Jesus (o Cristo) sou tentado a trocar a fé por uns arrepios... Às vezes, até sinto uma atmosfera diferente, mas não posso - nem quero - ser refém de um sentimento.

Pois então... Madonna está com Jesus, o outro. Seu encontro se deu no Brasil, durante a "STICKY & SWEET TOUR" (nome de sua turnê). Oro pra que ela se econtre com Jesus, o Cristo. Esse, sim, é o modelo a ser seguido. Não o de braços fortes, peitoral definido, barriga enxuta e sensações (temporárias) de prazer... Mas, o de caráter transformado e que proporciona prazer em todas as circunstâncias. Isso se chama graça! Jesus, o modelo de vida! Porque amor é decisão, renúncia, cuidado, serviço, doação. Amor é um princípio! Amor é uma pessoa: Deus é amor. Amar é um verbo de ação e não de estado, ou melhor, é o Verbo que se fez pessoa: Jesus Cristo. E nossos relacionamentos? São baseados em qual modelo? O Jesus "ágape" (o Cristo) ou o Jesus "sentimental" (o outro)?

"Quando ele me chamou/ Não fez promessas/ Humanamente convincentes/ Nada que me enchesse os olhos/ Apenas disse que me faria um pescador/ Mas pescador de peixes eu sou/ E na verdade há muitos outros como eu/ Nós pescamos coisas distintas/ E mesmo que você não sinta /Tua vida algo vai buscar." (Pescador - Grupo Logos)

5 comentários:

Érico disse...

Fala!

Nem sabia q o "outro" tinha origem cristã...
é verdade...q Deus nos ajude a sempre estar no "modelo" certo...

abs,
Érico

Paula disse...

Mt bom....
Gostei da frase
"Jesus, o modelo de vida"

Alexandre disse...

Vale ressaltar que não destaco uma razão fria e calculista. Isso não é um manifesto "aristotélico".

Nossos sentimentos foram criados por Deus! O problema existe quando somos dependentes do que sentimos pra tomarmos uma atitude (amar o próximo).

Não é amor "platônico", nem "aristotélico". É amor cristão: amor "ágape". Esse é o amor (divino) que nos faz amar até nossos inimigos! Falar do "affair" da Madonna foi um pretexto pra blogar sobre nossos modelos de relacionamento.

Obrigado pelos comentários!!
Ah, sim! Amo vocês!

Angeli-Kinh@ disse...

Lindo lindo ! Jesus, o Cristo...

Não sabe o sorriso bobo em minha face ao ler este post... post que a princípio ignorei qd vi a fotinho da Dona Cinquentona' ...Esse amor é tão fantástico, tão único, tão perfeito... e... tão simples !!!

E Viva o Amor - o Ágape - e viva Jesus - O Cristo !! rs

:)

Angeli-Kinh@ disse...

'Com su permisso...

Pequena [?] referência a este artigo em meu blog.

:)