segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Sobre motivação: o pulo do gato!

“Não importa se o gato é preto ou branco. O que importa é que o gato come o rato.” [provérbio chinês]

Esse provérbio chinês foi anunciado por Deng Xiaoping, um importante líder [chinês...], por conta do caráter paradoxal no que se refere à política e economia de sua nação: um regime fechado [comunista], mas de economia de mercado... Quer uma demonstração? Em sua casa, procure por adesivos e etiquetas “Made in”. Certamente, você vai encontrar muitos produtos chineses, desde “roupas de baixo” até aparelhos eletrônicos. Aposto! E as pastelarias?! Chineses empreendedores, não? Ah! Você já deve ter sido informado que a economia chinesa é a que mais cresce no mundo, apesar da crise mundial... Fórmula para um “negócio da China”: “Um país, dois sistemas.” [Deng Xiaoping]

Pois bem... Provavelmente você deve estar se perguntando: “Tá! Mas o que isso tem a ver com ‘motivação’”? Daí, eu respondo: Nada. Foi só pra expor meus conhecimentos [gargalhadas]. Estou brincando... Tem algo relacionado. Baseando a despreocupação com a cor do gato à postulação de alguns teóricos da Ciência Política, posso arriscar que essa frase tem um sentido utilitário ou – até mesmo – maquiavélico... Utilitário porque busca satisfação pessoal; maquiavélico porque – ah! Você sabe... – “os fins justificam os meios.” Stuart Mill e Maquiavel devem estar se revirando no túmulo, por conta de minha síntese do que eles levaram páginas e mais páginas pra teorizarem...

Deixando os dois pensadores em paz [e este não é um blog espírita...], acredito que o tal provérbio pode ser usado quando o “quê?” é mais importante que o “como?”. As mediações, a forma, o jeito... Tudo isso é desprezado. O que mais importa é o resultado final. Se minha vontade é exterminar o rato, por que discutir a cor do gato, contanto que seja um bom predador?! Ora, gatos que se prezam comem ratos! Sem levar em conta o preguiçoso Garfield, por favor, sim?

Mas, a vida não se encontra nos recadinhos do biscoito chinês da sorte... Não basta estar vivo. É preciso viver a vida [ainda que essa frase pareça redundante]! Não se aproveita a vida com um modelo causa-efeito. A vida é dinâmica, dialética, surpreendente, cheia de lutas e desafios... O que me faz viver? Vivo pra cumprir o rito nascer-crescer-morrer? E no meio desse “rito”? Não há envolvimento com gente? Como tenho influenciado essa gente que participa de minha vida? Preciso tomar cuidado com essa pragmática chinesa e me preocupar com a “cor do gato”...

Não basta participar de causas humanitárias, atos pra “impactar o mundo”, ações sociais, acender vela na janela, dizimar... Se estiver apenas preocupado em cumprir tarefas [“o gato come o rato”], é sino que faz barulho! Qual é minha motivação? Quero influenciar vidas? Que Deus sonde meu coração e me guie pelo caminho eterno! Qual é a “cor do gato”? De acordo com a minha resposta, descubro qual é minha motivação: o pulo do gato!

“Orem por mim pra que eu não solte as mãos de Jesus mesmo sob o pretexto de ministrar aos pobres.” [Madre Teresa de Calcutá]

4 comentários:

Anônimo disse...

Fala alexandre!
Mt bom esse texto!
Realmente, hj em dia as pessoas se preocupam com tantas coisas e se esquecem do mais importante! Vida com Jesus

Érico disse...

Fala Sucesso!
Mais uma vez, um texto de sucesso!! Gostei de ver seus conhrcimentos hein! hehehe...

Vc disse q o Garfield não vale, mas acho q o Tom (Tom e Jerry) vale né? a cor dele acho q é cinza, hehehe...e ele tb pula...hehehe

Boa reflexão, devemos estar motivados em refletir a glória Dele e não deixar q glória nenhuma venha para nós... Ao Único que é digno de receber, a honra e a glória...

Abs,
Érico

blogmoderador disse...

Boa reflexão! E não mexe com o Garfield porque eu gosto muito dele, viu... hehe

Abraço!

Robson Wellington

Anônimo disse...

Gostei muito da sua reflexão, pois as vezes nos preocupamos com cooisas que, de fato , não são relevantes.Precisamos nos ater ao que realmente pode mudar a nossa vida.
Bem, é isso...
Viver é mais simples do que costuma-se dizer por aí...
Valeu amigo, por mais essa contribuição!