terça-feira, 7 de outubro de 2008

"A gente somos inútil!"

“E andou Enoque com Deus; e não apareceu mais, porquanto Deus para si o tomou.” [Gênesis 5:24]

Este versículo tem falado muito comigo! Muito mesmo! E olha que é um versículo bem conhecido, hein! Daqueles que a gente ouve desde criança, como Salmo 23:1 e João 3:16. Leio, releio e constato a riqueza do propósito de Deus para o homem: uma vida abundante, através do relacionamento Criador - criatura. Pode parecer um comentário gótico... Mas é um belo epitáfio, não acha?

A Bíblia não nos traz muita informação sobre as atividades desempenhadas por este homem. Pode até ser que ele tenha sido embaixador do Rei ou, quem sabe, corista, presidente da União de Adolescentes, líder da Juventude de sua comunidade, “evangelista dos evangelistas”... Será que ele chegou a ser um missionário [daqueles que largam tudo pela causa]? Ah, já sei: ele pode ter gravado um CD... Foi ordenado ao ministério pastoral... Não! Tornou-se um apóstolo; dessa forma, montou uma grande rede de TV e rádio, cobrindo toda a “tribo” com a mensagem de sua igreja...

Não se preocupe! Não estou com um parafuso a menos. É claro que não existia televisão, rádio, CD, nem Embaixador do Rei [“laialaialaialaia... JESUS!”]... O que quero dizer é que aprendo, ao ler este conhecido versículo, que tudo o que Deus deseja de nós é relacionamento. É a proposta mais louca que já vi em toda minha vida [tenho 21 anos]. Por quê? Porque relacionamento é correr risco - sem o sentido de “atirar pra todos os lados”, por favor [não coloque palavras em minha boca, ou melhor, no meu blog...].

Relacionamento não é uma cláusula ou formulário em que se analisam, de forma cautelosa, todos os prós e contras - inclusive as letrinhas miúdas [se tiver uma lupa, melhor...] -, pra que tudo fique bem claro acerca daquilo que será “investido”. Relacionamento é a coisa mais inútil do mundo! Sim, porque não se trata de um toma-lá-dá-cá. Relacionamento não é uma barganha ou troca de interesses. Relacionamento é uma grande descoberta. Não fazia idéia de algumas coisas que passaria com Deus, desde que disse “sim” a Ele. Mas, ainda assim, posso te dizer que me relacionar com Deus foi [e tem sido] uma grande descoberta, que a cada dia me fascina [fascinação é a melhor descrição indescritível pra minha caminhada com Deus!].

Não quero nem entrar no mérito da Graça de Deus, porque não sou teólogo [deixa para quem sabe, né? Embora o teólogo Paul Tillich tenha afirmado que “Deus está além de Deus.” Concordo!]. O que quero destacar é o “tô nem aí” de Deus pra nossa agenda e calendário cristãos nem um pouco cristocêntricos, mas tarefacêntricos. Por muitas vezes, corremos de um lado pro outro e nos igualamos àquela mulher-do-poço que perguntou a Jesus em qual monte o Criador deveria ser adorado. Ou à Marta que se preocupou em fazer um banquete [bolinhos de chuva, talvez...] e deixar a casa super limpa [com cheirinho de VEJA Multi-Uso], no lugar de estar aos pés de Jesus e se deleitar com suas palavras. Acho que essas mulheres tinham até boa intenção, sabe? Queriam oferecer o melhor pra Deus. Afinal de contas, “pra Deus tem que ser o melhor”, não é mesmo? Sim, mas o que Deus deseja de nós é APENAS relacionamento. Simples, não? Isso até me constrange...

Não acredito que a história de vida de Enoque tenha sido resumida por falta de tinta na caneta [pena?] de Moisés. Acredito que a curta biografia não rendeu um livro com inúmeras páginas porque o Criador quis nos ensinar algo, através da vida de Enoque, de uma forma simples, sobre uma vida simples que agrada a Ele [Super-abundante... “clap, clap”... Gra-a-ça...]: Deus deseja se relacionar conosco a ponto dEle decidir nos tomar para Si. Ele quer que sejamos Seus amigos, tal como Abraão o foi [mas este é um outro post...]. E você? É um líder de ministério ou, mais que isso, amigo de Deus? Tem um relacionamento útil [o que não seria um relacionamento, mas uma negociata] ou inútil [despretensioso/sem interesses]?

3 comentários:

Adrianne Marreco disse...

Aee gostei de seu blog!Entre no meu viu?
bjs

liana disse...

Quisera eu ter o dom da escrita...como é ruim ter nascido desprovida deste bom,mas é bom saber que amigos como você de forma humilde e cristocêntrica,usam e abusam das palavras!
Mandou bem,amigo...sempre digo que o que é o principal é a minha relaçao com nosso Deus

Anônimo disse...

Fico feliz em saber que não sou a única louca que pensa em uma re-leitura do evangelho, ou seja, como realmente praticá-lo da forma que o Senhor deseja.
Saiba que cada uma das palavras que compõe o seu blog são instrumentos de Deus para nos levar a uma dimensão com Ele.
Agradeço ao Pai por ter um "amigo mais chegado que um irmão" que, de fato, procura desenvolver uma profunda intimidade com Deus e não somente o que Ele tem a oferecer...
Parabéns!
Camila(o)